Pages

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Dilma vence Eduardo Campos em Pernambuco, diz Ibope.


Mesmo em casa, Eduardo Campos (PSB) não consegue vencer a presidenta Dilma (PT). 

Na pesquisa do Ibope ela está com 41% enquanto Campos está com 37%. E olha que Lula, o pernambucano mais querido do povo, ainda nem apareceu na TV pedindo votos para Dilma.

Dilma na CNI dá show de sabedoria e vence Aécio e Eduardo Campos por nocaute.


A explanação de Dilma na CNI (Confederação Nacional da Indústria) foi melhor do que a encomenda. Em um setor tradicionalmente alinhado com os demotucanos, Dilma mirou o futuro, ligado às ações do presente, e deu uma aula de estratégia econômica para o desenvolvimento.

Mostrou ser muito mais capaz de conduzir bem o Brasil do que seus adversários, até para a própria sobrevivência e prosperidade das empresas.

Aécio e Eduardo Campos se limitaram a repetir abobrinhas de colunistas da revista Veja e da Globo, só confirmando que nenhum dos dois tem a mínima visão de futuro necessária para dirigir um país com a dimensão e complexidade do Brasil.

A não ser empresário que tenha rôlo e rabo preso com governos demotucanos, é muito improvável que um empresário sério pague para ver no que daria outro governo demotucano, e é muito difícil não concordar com a visão apresentada por Dilma e que ela tem que continuar neste ciclo de desenvolvimento até completar. As bases estão plantadas e não podem ser interrompidas sem danar o Brasil, como quer a oposição. Seria como arrancar a plantação que germinou e está crescendo antes de colher os frutos.

O vídeo acima é uma edição resumida para espalhar e para os demotucanos morrerem de inveja. Mira o futuro, decorrente das decisões do presente, e mostra como Dilma enxerga longe. Um exemplo é, enquanto quase todo mundo só viu críticas (e merecidas) na espionagem da NSA, Dilma enxergou também a política industrial que eles fazem com as agências de inteligência estatais fomentando milhares de empresas de informática e de comunicação, desconstruindo o discurso do estado mínimo.

Um vídeo mais completo, quase na íntegra da explanação, está aqui.

Leia também:
- Em sabatina da CNI, Dilma discute projetos, enquanto Aécio e Campos discursam

Folha dá meia página para Aécio defender aeroporto particular construído com dinheiro público


Causa estranheza o fato de o jornal Folha de São Paulo dessa quinta feira (31), ter cedido para  Aécio Neves, meia página do jornal, para o candidato escrever sua defesa sobre, o escândalo de seu  aeroporto particular, construido  com dinheiro público, para uso de familiares.E Aécio escreveu que, uso do aeroporto foi um ‘equívoco’.O "equívoco" de Aécio das Neves custou R$ 14 milhões aos cofres públicos de MG. 

Os meus queridos leitores, devem se recordar que, em outras ocasiões, a Folha, julgou e condenou  políticos, sem dar o direito de resposta ou ceder qualquer espaço para opinião contrária.Mesmo depois de alguns desses políticos terem sidos  investigados por órgãos competentes, como a Polícia Federal e Ministério Público e absolvidos, o jornal não dedicou uma única linha sobre o assunto. E se fosse um político de outro partido? Teria o mesmo espaço na Folha  para se  defender?

.A Folha de São Paulo, tem todo direito de apoiar qualquer um candidato. Porém, deve ser honesta com os leitores, comunicando qual é seu candidato. Essa posição, foi tomada em 2010, quando o jornal O Estado de São Paulo, escreveu um editorial declarando apoio à José Serra

Com toda a imprensa de pensamento único, panfletando positivamente os candidatos do PSDB  e negativamente o governo, é de se estranhar que Aécio Neves  só chegue ao  percentual de 20% nas pesquisas. 
 Enquanto a Folha se empenha na defesa do tucano, o jornal O Estado de São Paulo publicou hoje, mais um capitulo do AeroNeves, sob o título "Gasto per capita de aeroporto em Cláudio é a maior de programa" Leia
“Aeroporto em Cláudio fica em fazenda que pertencia ao avô de Aécio Neves”
O aeroporto do município de Cláudio, no centro-oeste de Minas, recebeu o maior aporte per capita entre os 24 equipamentos beneficiados com investimentos do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero). O gasto por habitante foi de R$ 510,42, proporcional ao orçamento de R$ 13,9 milhões aplicado em obras de ampliação do aeroporto na cidade de 27,3 mil habitantes, segundo dados de 2013 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os R$ 510,42 equivalem a quase três vezes a média de investimento de R$ 179,07 per capita em 11 aeroportos que receberam obras do mesmo tipo no Estado e a quase quatro vezes a média de R$ 128,52 por capita se considerados também os investimentos em obras de adequação de infraestrutura feitas em mais 13 aeródromos. Chega, ainda, a ser mais de dez vezes maior que o volume de recursos per capita aplicado, por exemplo, em Divinópolis, cidade com 226,3 mil habitantes a 50 quilômetros de Cláudio, e cujo aeroporto também passou por obras de ampliação, com custo de R$ 11,5 milhões (R$ 50,84 per capita).

O maior investimento feito por meio do programa foi no Aeroporto Regional da Zona da Mata, localizado entre Goianá e Rio Novo. As obras no terminal tiveram custo de R$ 106,8 milhões, correspondendo a um gasto per capita de R$ 195,80 se considerados os 545,9 mil habitantes de Juiz de Fora - principal cidade atendida pelo terminal. Na outra ponta, o menor foi em Guanhães, cujo aeroporto recebeu R$ 350 mil, equivalentes a um investimento de R$ 10,59 per capita.

Critérios.

 O aeroporto instalado em um terreno desapropriado da fazenda do ex-prefeito Múcio Guimarães Tolentino, tio-avô de Aécio, recebeu obras para ampliação da capacidade orçadas em R$ 13,9 milhões, entre 2009 e 2010, durante a gestão do presidenciável tucano à frente do Executivo estadual.

Até o momento, foram investidos R$ 333,3 milhões em obras de adequação, ampliação, melhoria, revitalização e construção de terminais pelo programa. Pela proposta original, a seleção dos aeroportos seria "baseada" em pontos como o potencial econômico, a "distribuição estratégica no Estado" e a "densidade populacional", entre outros.  Cláudio é o único município com menos de 30 mil habitantes a ter investimento do Estado no aeroporto.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Em sabatina da CNI, Dilma discute projetos, enquanto Aécio e Campos discursam


Candidato do PSB perde pontos com promessas difíceis de cumprir. Tucano adota tom que mais agrada ao mercado financeiro que ao empresariado.Dilma defende políticas atuais e promete melhorias
 Os assessores de Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) devem estar atordoados com a participação da presidenta Dilma Rousseff (PT) na sabatina da Confederação Nacional da Indústria (CNI), tamanha foi a aula de competência dela na área econômica, em contraste com o vazio de propostas e a platitude dos dois adversários. Ao responder pergunta sobre que importância o setor da indústria vai ter no governo, Eduardo Campos iniciou um discurso de que a “solução” para a melhora do setor está na política...Leia mais aqui

Aécio se complica ao confessar que usou aeroporto. Inclui helicóptero no meio. Seria dos Perrella?



Depois de passar uma semana se recusando a responder e fugindo de uma pergunta bem simples: "Usou ou não usou o aeroporto?", o senador tucano Aécio Neves (PSDB) resolver confessar: Usou!

Seu partido elaborou uma nota sob o pomposo título “Voos ocasionais para a pista de Claudio/MG; Aspectos da legalidade”, onde admite que Aécio usou o aeroporto construído quando ele era governador no terreno que era do seu tio-avô.

O problema é que o uso foi clandestino, porque o aeroporto não está autorizado ainda por falta do governo tucano de Minas providenciar documento junto ao Comando da Aeronáutica.

Enquanto isso o público não pode usar o aeroporto, mas Aécio usa assim mesmo, como se fosse propriedade privada de sua família. Aliás essa "falta de pressa" em abrir o aeroporto ao uso público desmente a tese do tucano de que o aeroporto tenha sido construído com dinheiro público para atender empresas da cidade. Fica óbvio que atende é ao uso particular dele mesmo.

Os tucanos afirmam que o uso foi feito de "maneira legal" porque a agência reguladora permitiria “operação ocasional” de helicópteros.

Como é que é? Agora as perguntas que a nação brasileira quer saber são outras:

Aécio usou jatinhos ou helicópteros, afinal de contas?
Ou foi os dois?
E se usou helicóptero, aquele da família do seu amigo senador Zezé Perrella, apreendido com meia tonelada de cocaína, andou fazendo uns vôos por lá também?
O senador Aécio Neves usou ou não o helicóptero dos Perrella?

Essa explicação cheira mal e piora as coisas.

A Anac desmente o tucano e afirma que “trecho do regulamento só é valido para operações realizadas exclusivamente por helicópteros (aeronaves de asa rotativa), e em helipontos ainda não homologados”. Aeroportos não homologados só podem ser utilizados para casos de “emergência em voo para evitar incidente/acidente”.

Aécio reincide na arrogância de quem se acha acima das leis, e que pode misturar o dinheiro público com seus interesses privados impunemente e sem dar satisfações ao público.

Deveria declarar todos seus vôos irregulares e clandestinos, as cargas transportadas, pagar as multas, assumir suas responsabilidades e devolver aos cofres públicos o dinheiro mal gasto na obra para atender à sua família, em vez de insistir em levar vantagem.

Vem ai, o Partido do mercado financeiro



Com a proposta de renovação do sistema político, pregando eficiência nos moldes da gestão privada e com críticas aos que se intitulam a "nova política", está prestes a ser criado o Partido Novo, que poderá ser a 33ª legenda do País. À frente da sigla, de viés liberal e com defesa de intervenção mínima do Estado, está João Dionísio Amoêdo, ex-vice-presidente do Unibanco e atual conselheiro do Itaú BBA.

O pedido de registro formal do partido foi protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na quarta-feira, 23, com 493,6 mil assinaturas de eleitores. O apoio mínimo exigido pela legislação é de 492 mil assinaturas. O partido, que nascerá com a marca da visão de mercado, tem ainda em sua cúpula nomes como o de Marcelo Lessa Brandão, executivo que já atuou em companhias como McDonald''s, KFC, Ponto Frio, Bob''s e Pizza Hut, e Fábio Luis Ribeiro, gestor de fundo investimentos.

Inicialmente, o Novo vem sendo bancado por parte dos 181 fundadores. O partido, que, se aprovado pelo TSE, passará a receber dinheiro do fundo partidário, mas é contrário a esse tipo de financiamento. "Defendemos o fim do fundo partidário, pois entendemos que os cidadãos devem ter a liberdade de escolher se e para quais partidos políticos gostariam de fazer doações. Os partidos devem ser financiados pelos seus membros, filiados e apoiadores", diz Amoêdo.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Baton na cueca não tem explicação!



A coligação Muda Brasil, ficou na muda! 
O aeroporto de Cláudio foi feito na gestão do candidato Aécio Neves (PSDB), quando foi governador de Minas, projeto  também é de Aécio, com dinheiro público, porém, restrito, propriedade particular, só para a família...Virou samba!

E, até a Folha, zoa Aécio

Meta de programa mineiro não justificava aeroporto perto da fazenda de Aécio

Pouso forçado

 As metas do programa ProAero não justificavam o uso de verba pública para construir um aeroporto em Cláudio (MG), próximo à fazenda da família do tucano Aécio Neves. O plano do governo de Minas Gerais anunciava como objetivo reduzir a no máximo 80 quilômetros a distância de cada cidade do Estado para uma pista de pouso. Antes da obra, os municípios da região já eram atendidos por outros aeroportos em Divinópolis (MG) e Oliveira (MG), também contemplados no plano.

 Provocação de um aliado de Eduardo Campos (PSB) sobre o aeroporto: “O que chama a atenção não é a construção na terra do tio-avô, é a displicência de ter deixado a chave na mão do parente…”

Programático

 Emidio de Souza, o presidente do PT paulista, brincou ontem com aliados em um evento dos metalúrgicos do ABC: “Descobrimos um trecho do programa de governo de Aécio para aviação: construir o terminal 3 no aeroporto de Cláudio”.

Picaretagem? Empiricus dizia que ações da OGX ia dobrar, mas despencou. Agora diz que será o "fim do Brasil".

http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/ogx-pode-dobrar-valor-bolsa-diz-empiricus-522601/
Uma tal de Empiricus espalhou um "relatório" imbecil e catastrofista sobre a economia brasileira chamado "Fim do Brasil". Retrata a eleição de Dilma como se fosse o "fim do mundo".

É da mesma linhagem dos que diziam no ano passado que hoje estaríamos em uma "tempestade perfeita" na economia, coisa que, nem de longe, aconteceu. É também da mesma linha dos que diziam em 2008 que o Brasil iria quebrar com a crise internacional igual nos tempos de FHC, e os que criaram o "lulômetro" nas eleições 2002, dizendo que quando Lula subia nas pesquisas, o dólar também subia.

Vamos desenhar: até as agências internacionais bem mais sérias que essa tal de Empiricus, mantiveram a economia do Brasil na categoria sólida de "grau de investimento", coisa que os tucanos sempre almejaram, mas só o governo Lula conseguiu e o governo Dilma mantém, inclusive elevando as reservas. Então esse alarmismo desta tal Empiricus tem cheiro, cor e forma de picaretagem.

Para entender um pouco o que está em jogo, vai uma dica: quem é profissional na área de ganhar dinheiro ensina para todo mundo o pulo do gato?

Quem é dono de uma loja de sucesso, ensina à concorrência as dicas de seu negócio, para todo mundo copiar e sua própria loja perder dinheiro e clientela para os concorrentes?

No mercado de derivativos nas bolsas de valores é muito pior. Não existe possibilidade de ganha-ganha como existe no mercado à vista de ações. Quando um vende para o outro ações ou títulos nos mercados futuros e de opções, um ganha muito e outro perde muito. Quem tem informação valiosa e rara que ajude a prever o rumo do mercado, não conta para ninguém. Usa para ganhar dinheiro para si.

Pois o negócio da Empiricus, acredite se quiser, é vender "cartilhas" que supostamente ensinariam o pulo do gato para todo mundo que segue seus "conselhos" a ganhar dinheiro! Tem assinaturas desde R$ 19,90 por mês até R$ 164,90 por mês. Só falta lançar uma edição de R$ 1,99 chamada de "Elixir milagroso para ficar milionário sem trabalhar".

Como são bonzinhos e abnegados! Em vez de ganharem dinheiro, ensinam os outros a ganharem! (estou ironizando, é claro).

Só que muita gente que seguiu os conselhos da Empiricus em 2009 perdeu muito dinheiro. Há quem tenha perdido praticamente todo o dinheiro que aplicou, seguindo os "conselhos" dos gurus da empresa.

No auge de Eike Batista, em fins de 2009, a Bovespa já tinha subido 80%. As ações da OGX, petroleira de Eike Batista estava cotada em torno de R$ 16,00. A Empiricus espalhou por aí que a OGX tinha potencial para subir mais de 100%.

Com esse tipo de notícia se espalhando, muita gente incauta achando que a Empiricus e assemelhados ensinava a ganhar dinheiro, compraram ações da OGX.

Com muita gente comprando, as ações subiram um pouco num primeiro momento, pela própria procura (mas longe de dobrar de preço com dizia a Empiricus), para em seguida começar a cair. Nunca mais voltou ao que era e despencou. Em vez dos R$ 32,00 previstos pela Empiricus, hoje as ações da OGX valem R$ 0,18.

Um autor de relatórios da Empiricus, Marcos Elias, teve seu registro de analista suspenso pela própria classe por 12 meses devido a alguns relatórios sensacionalistas e, com a suspensão, deixou a empresa. Outros dois analistas da Empiricus que ainda continuam na empresa já foram multados pela falta de seriedade na linguagem sensacionalista.

Existem outras empresas e analistas de mercado sérios, que fazem e vendem análise de balanços, estudos de gráficos de tendência. Existem até softwares que fazem automaticamente estas coisas. Mas quem é sério se limita a estudos numéricos de indicadores objetivos, sem sensacionalismo. E estes estudos é apenas parte do conjunto de informações que operadores do mercado usam para tomar suas decisões de compra ou venda. O pulo do gato para ganhar dinheiro de fato, sabendo a hora de comprar ou vender determinado papel, ninguém ensina por motivos óbvios.

Vender relatórios sobre mercados em linguagem sensacionalista e ainda fazer propaganda paga no Google, de forma também sensacionalista e usando candidaturas para vender assinaturas e, talvez, provocar movimentos especulativos nas bolsas com o sensacionalismo, entra no terreno pantanoso da exploração da boa fé alheia, da propaganda enganosa.

Por isso, exige investigação se está havendo crimes de manipulação do mercado, contra a economia popular e contra a legislação eleitoral, já que as eleições também podem estar sendo usadas com método e planejamento por espertalhões, tanto para especulação financeira contra a economia popular, como para fazer terrorismo eleitoral indevido.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Santander: banco que dá prejuízo a acionistas pode ser bom conselheiro?


O banco Santander do Brasil abriu seu capital ao público na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) em outubro de 2009, a R$ 23,50 cada ação. Menos de cinco anos depois, a matriz espanhola do banco fez, em 29 de abril de 2014, uma oferta pública para os acionistas minoritários – que detêm cerca 25% dos papéis do Santander do Brasil negociados na Bovespa – trocarem suas ações pelas ações da matriz do grupo espanhol, ao valor de R$ 15,31.

(...) Um prejuízo de 34,85% entre uma operação e outra. Leia a história toda aqui.

AéroAecio: Aécio usou ou não usou o aeroporto, eis a questão



Uma semana passou, e o presidenciável Aécio Neves (PSDB) ainda não respondeu se usava ou não o aeroporto de Cláudio para chegar à Fazenda da Mata, de propriedade de sua família, que fica a 6 km do local.

Aécio escapa da questão e torce para que o tema perca fôlego. Enquanto ele não responde, a polêmica e os consequentes danos causados pelo caso ficam circunscritos às acusações de suposto favorecimento da família na construção do aeroporto, já que a área pertencia a um tio de Aécio até ser desapropriada pelo governo de Minas. O tio, porém, questiona o valor da desapropriação na Justiça e ainda não recebeu o pagamento, o que enfraquece as acusações.

Se Aécio usava o aeroporto, o fazia à revelia das autoridades do País, já que o local não tinha autorização para operar. Como a construção foi bancada com dinheiro público e atendia à conveniência do presidenciável - o aeroporto não é usado pela população em geral, e familiares dele disseram que ficavam com as chaves do lugar -, o caso ganha outro contorno, com questionamentos éticos talvez maiores do que a acusação de suposto favorecimento familiar.

Apesar do silêncio estratégico do candidato, nos bastidores os tucanos já preparam munição sobre o assunto, cientes de que será difícil escapar dele O fato é que assunto ainda não foi esquecido, e Aécio, como político que aspira a comandar o País e que mantém um discurso crítico em relação ao governo, deveria ser o primeiro a querer esclarecer a questão. O que não dá é para o principal candidato da oposição não responder à pergunta e ainda protagonizar situações constrangedoras ao dizer que tudo já foi esclarecido, quando não foi.

Enquanto isso, o eleitor é obrigado a se contentar com a única resposta direta sobre o caso, a do primo de Aécio. Segundo ele, o candidato usava, sim, o aeroporto de Cláudio toda vez que visitava a fazenda.Estadão

Sogra de Paulinho da Força Sindical é indiciada por falsificar assinaturas de partido



A Polícia Federal indiciou a sogra do deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, e outras duas pessoas sob acusação de falsificarem assinaturas para a criação do Solidariedade (SD). O partido presidido pelo deputado foi constituído no ano passado, é a nona maior bancada da Câmara, com 21 deputados, e apoia a candidatura de Aécio Neves (PSDB) à presidência da República.

Francisca Gleivaní Gomes Silva é assessora parlamentar no gabinete de Paulinho, o genro, segundo consta do portal da Transparência da Câmara. A contratação de parentes é proibida por súmula do Supremo Tribunal Federal desde 2008, incluindo sogra.

Em maio deste ano, Paulinho recebeu o título de cidadão de São Caetano. Na justificativa, o vereador Cidão do Sindicato, autor da indicação, mencionou Samantha como esposa de Paulinho.

Propinão tucano:Marinho comprou imóvel com dinheiro de conta na Suíça, afirma Promotoria


Parecer técnico do Ministério Público revela que no mesmo dia em que transferiu US$ 1,15 milhão da Suíça para o Coutts Bank, banco nos Estados Unidos, o conselheiro fechou a compra do imóvel na capital paulista. A Promotoria apurou que os vendedores do imóvel onde reside Marinho mantêm conta na mesma instituição financeira para a qual ele fez a transferência. As duas operações - transferência do dinheiro e a compra - ocorreram no dia 28 de setembro de 1998.

Marinho possui, além do imóvel no Morumbi, uma ilha em Paraty (RJ), uma casa em Ubatuba (SP) avaliada em R$ 7 milhões, e outros bens. Para o Ministério Público, essa movimentação bancária é o primeiro indício importante que liga a aquisição de patrimônio pelo conselheiro a dinheiro de propina que o ex-chefe da Casa Civil do governo Mário Covas (PSDB) teria recebido da empresa Alstom.

De acordo com os promotores, Marinho recebeu propina para favorecer a multinacional francesa em contrato da área de energia do governo paulista, entre 1998 e 2001, denominado Gisel II - empreendimento da antiga Eletropaulo, sucedida pela Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE).

domingo, 27 de julho de 2014

Prejuízos de clientes no Santander pipocam nas redes após banco especular politicamente. #ForaSantander.

Dentista, cansada de se sentir lesada, deu seu testemunho de como uma despesa cancelada de R$ 240,00 no cartão, virou uma cobrança de R$ 20 mil, porque, segundo ela, o banco ignorou o cancelamento e os gerentes não cumpriram o que prometeram e orientaram. 

Em reportagem da TV Record, o Santander já aparecia em 2013 como o pior banco, campeão de reclamações pelos clientes. Os trabalhadores também denunciam demissões em massa de bancários no Santander Brasil, mesmo com o banco sendo lucrativo, só para enviar mais lucros ainda para ajudar a matriz na Espanha, que enfrenta forte crise econômica. Claro que com muitos problemas e menos funcionários para resolver, a tendência é piorar o atendimento ao cliente no Brasil.


O Banco Santander deu um tiro no pé ao anexar ao extrato da clientela "select" que ganha mais de R$ 10 mil por mês, uma mensagem politicamente panfletária e economicamente especulativa em seu extrato, contra a política econômica da presidenta Dilma que não agrada aos banqueiros (apesar dos lucros que os bancos saudáveis vem tendo no Brasil, até em consequência de haver muito mais gente com emprego e renda para usar os serviços bancários e comprar a crédito).

A polêmica levantada chamou atenção nas redes sociais, onde pipocam casos de horror de clientes que reclamam ou queixam de serviços, tarifas, cobranças indevidas e mau atendimento.

Ganhou visibilidade a notícia de que o Santander é campeão de reclamações de clientes em levantamento do Banco Central. Em seis meses apurados em 2014, o banco espanhol foi o pior em cinco meses.

Clientes narram casos de débito na conta de coisas não autorizadas, propaganda que não cumpre o que anuncia, atendimento ruim, e outros casos, como se observa no site ReclameAqui.



Nas redes sociais, gente indignada com o terrorismo eleitoral com a economia que ocorre desde as eleições de 1989, prega o boicote ao banco espanhol e nota-se um movimento de corrida ao banco para encerrar contas, cancelar cartões, ou fazer portabilidade de contas-salários e de financiamentos para outros bancos, inclusive ao descobrirem que a mágoa dos banqueiros com Dilma é porque juros e tarifas estão sendo oferecidos baixos nos bancos públicos, o que é bom para o bolso do cliente, mas diminui o lucro dos banqueiros.



Outra reportagem onde o Banco Santander é destaque por queixa de cliente:

sábado, 26 de julho de 2014

Desapropriação do aeroporto 'do Aécio' para o tio sobe para astronômicos R$ 21,5 milhões.


Aécio virar governador foi um bilhete premiado para a parentada do tucano na cidade de Cláudio (MG).

Agora é oficial. O governo de Minas Gerais desmente a versão de Aécio Neves (PSDB) de que a desapropriação da terra do tio do tucano, quando ele era governador, ficaria "só" em torno dos R$ 1 milhão já pagos em juízo.

A LDO, Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado de Minas para 2015, prevê pagar o valor de astronômico de R$ 20.587.174,50 (o documento pode ser conferido aqui na página 212, obtido no link oficial da Secretaria de Planejamento de Minas).

Somando aos R$ 1 milhão já pagos, se o valor previsto na LDO for confirmado judicialmente, o tio do Aécio vai ganhar dos cofres públicos R$ 21,5 milhões pelo pedaço de terra onde foi construído o aeroporto de Cláudio a 6 km da fazenda do próprio Aécio.

Nessa brincadeira os cofres públicos de Minas torram R$ 35,5 milhões (14 da construção mais 21,5 da desapropriação) para Aécio ter um aeroporto a 6 km da fazenda do próprio Aécio em Cláudio, onde ele gosta de passear e diz ser "sua Versalhes".

Em tempo: O que o comentarista da rádio CBN das Organizações Globo tem a dizer agora, já que afirmou que a família de Aécio "não teria levado vantagem"?

Ninguém quis conversar com Aécio...Aécio muda itinerário após visitar parque vazio em SP


O candidato à Presidência pelo PSDB, senador Aécio Neves, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o candidato ao Senado José Serra (PSDB) enfrentaram uma saia-justa neste sábado, 26, em ato de campanha na capital paulista.

O trio se encontrou no Parque da Juventude, na zona norte, local onde funcionou o antigo presídio do Carandiru, para fazer uma caminhada e registrar imagens com potenciais eleitores para o programa eleitoral. Mas encontraram o parque completamente vazio.

A situação ficou pior quando começou a chover. Entre os poucos eleitores que encontraram no local estava um grupo de jovens que jogava futebol em uma das quadras. À distância, os adolescentes pediram aos tucanos a legalização das drogas. O senador Aécio Neves não entendeu o que os garotos gritavam e apenas sorriu.

Em outro momento, uma professora da rede estadual de Ensino, Amabile Lopes, de 28 anos, aproximou-se de Alckmin e fez um agradecimento. O governador virou-se e estendeu a mão para a moça, que disse: "Muito obrigada por ter sido demitida na última sexta-feira".

O tucano, então, afirmou não haver demitido ninguém. "Quem demitiu foi a Secretaria", disse o governador. Antes de ir embora, disse à professora que iria ver o que tinha acontecido.

Alckmin, Serra e Aécio discutiram, então, uma outra alternativa para fazer campanha neste sábado chuvoso em São Paulo. Cogitaram ir até o Mercado Municipal, na região central, para comer sanduíche de mortadela, mas acabaram decidindo ir para Itaquera, na Feira Tecnológica da Zona Leste.Do Estadão